Veja tudo o que rolou na Brazil Cycle Fair 2017!!!

Salvador Vai de Bike celebra quatro anos com ações na Barra e lançamento de Mapa com Ciclorrotas

        

O Movimento Salvador Vai de Bike completou quatro anos neste mês de setembro, momento em que todo o país também celebra o mês da mobilidade, e para comemorar os avanços alcançados ao longo desses anos de atuação, o programa desenvolveu uma série de ações que serão realizadas neste sábado (30), no Largo do Farol da Barra, a partir das 9h.

 

Na ocasião, o Movimento fará o lançamento do “Mapa Ciclorrotas”, com distribuição em formato impresso para os ciclistas que passarem pelo local. Desenvolvido pelo Ciclo Urbano, Bicicleta Para Todos, Vialle Planejamento e Projetos com patrocínio da Tembici e do Itaú, o Mapa é dividido em três partes – Barra, Pituba e Ribeira, e seu conteúdo traz o levantamento de trajetos a serem realizados pelos usuários de bicicleta na capital baiana. O produto vem sendo desenvolvido desde o ano passado e trará também uma versão online que poderá ser acessada através do site do Movimento.

 

Por falar em site, o MSVB também recebe novo endereço na internet. A partir deste sábado o www.salvadorvaidebike.salvador.ba.com.br é o mais novo portal de acesso as novidades sobre o mundo da bicicleta. Onde todos poderão acompanhar de perto as ações e eventos que acontecem em Salvador. O portal contará com conteúdo amplo que envolve notícias, espaço para vídeos e imagens, além de dados numéricos e informativos sobre a relação da cidade com as bicicletas. O site ainda traz, para os usuários, uma lista de grupos de pedais atuantes na cidade, com as datas de passeios e informações sobre cada um deles. Assim, quem tiver interesse em começar a pedalar pode procurar por passeios e pedaladas para fazer em diversos pontos da cidade.

 

O coordenador e idealizador do MSVB, o também presidente da Empresa Salvador Turismo (Saltur), Isaac Edigton, comemora os quatro anos do programa. “Foram muitos ganhos ao longo desses anos, temos uma malha cicloviária hoje muito maior do que em 2013 e engajamento em todos os seguimentos sociais. A bicicleta é vista com outros olhos na cidade, e aliado a isso o pensamento sobre mobilidade, o olhar do soteropolitano em relação a isso também mudou. Ainda temos grandes passos a dar, mas o sucesso desses últimos quatro anos é indiscutível”, ressalta o gestor.  Vale destacar que Salvador hoje é a 7° melhor cidade do Brasil em mobilidade e acessibilidade e o aumento de 10,2 km de sistema cicloviário em 2012 para 196 km em 2017 é um dos fatores que fez acidade sair do 27° lugar para a atual colocação.

 

Diversão e Lazer –  Para deixar o clima ainda mais festivo uma gincana está sendo montada para acontecer durante a manhã do sábado, também no Largo do Farol da Barra. A Gincana Educativa Salvador Vai de Bike será realizada individualmente e os participantes percorrerão um trecho com obstáculos e ações educativas a serem seguidas. Os três melhores tempos levará para casa uma bicicleta “Aro 26”. As inscrições são limitadas e as informações acerca de como participar estão na página do facebook do Movimento (www.facebook.com/salvadorvaidebike).

Os ciclistas que não participarem mais estiverem pela região também poderão ganhar brindes e material informativo.

 

O Movimento Salvador Vai de Bike – Lançado em 22 de setembro de 2013, por iniciativa da Prefeitura, o Movimento Salvador Vai de Bike é um amplo conjunto de ações integradas de incentivo ao uso da bicicleta na capital, com o objetivo de melhorar amobilidade urbana e a qualidade de vida na cidade. Integrado ao Programa de Governo do Prefeito ACM Neto, o Movimento Salvador Vai de Bike está alicerçado em sete eixos estratégicos: Infraestrutura – Sistema Cicloviário, paráciclos, pitstop e bicicletários públicos; Sistema de Bicicletas compartilhadas (Bike Salvador – Laranjinhas) e Bicicletas de Lazer (Azuizinhas); Ações Educativas, como Políticas Públicas de conscientização, educação, capacitação e atividades permanentes pró-Bike; Incentivo e Captação de novos públicos (Lazer e Diversão) Circuitos de Lazer, Passeios Ciclísticos; Urbanismo e Sustentabilidade, com Integração de Modais, Desenvolvimento Econômico e comunitário; Esportes, com competições esportivas ligadas ao setor – Nacionais e Internacionais; e por último o Turismo, com Implantação da rede Bike Turista na cidade, análise e divulgação de circuitos ciclo-culturais.

 

 

MSVB em números – Em quatro anos de incentivo ao uso da bicicleta em Salvador, o Movimento Salvador Vai de Bike acompanhou uma série de ações que coloca a capital baiana entre as cidades que mais atua em prol dos usuários de bicicleta no país. A cidade possui atualmente 40 estações de bicicletas públicas instaladas em diversos pontos da cidade, conhecido como Sistema Bike Salvador. Nele cerca de 700 mil viagens já foram realizadas e mais de 150.000 usuários estão cadastrados no sistema.

 

Salvador também inovou com a inauguração do projeto Bike Turista. Onde 12 estações de bicicletas foram instaladas em hotéis da cidade, cobrindo toda a orla atlântica da capital. Mesma inovação vista com a inauguração dos mais modernos bicicletários do país, instalado na Barra e na Ribeira.

 

Com quatro ciclofaixas de lazer e turismo instaladas (Barra – Ondina / Campo Grande – Terreiro de Jesus / Parque da Cidade – Orla / Av. Professor Magalhães Neto) a cidade permite o uso das bicicletas compartilhadas conhecidas como “azuizinhas” para incentivar as primeiras iniciais dos soteropolitanos, que depois de conhecer e perder o medo pelas pistas acabam comprando suas próprias bikes. São 80 bicicletas compartilhadas nas Ciclofaixas de Lazer e Turismo e mais de 30 mil Viagens realizadas.

 

Ao longo de quatro anos mais de 600 paraciclos foram instalados por toda a cidade e mais 21 Bike Pit Stops, instaladas em praças públicas onde é possível fazer concertos nas bicicletas.  Cerca de 2500 motoristas de ônibus e táxis foram capacitados com relação à conduta perante ao ciclista. Sem falar na acessibilidade, os soteropolitanos e turistas que estiverem na cidade podem atravessar os Terminais Marítimos da Ribeira e do Subúrbio Ferroviário e subir o Elevador Lacerda e os Planos Inclinados com suas bicicletas.

 

Os ciclistas profissionais contam com duas ciclofaixas de treinamento, uma localizada na Av. Centenário e outra na Av. Professor Magalhães Neto. Além disso, o Movimento já fomentou a realização de mais de 60 eventos e campanhas de conscientização juntos ao setor privado, grupos pró-bike e organizações não governamentais. Mais de 20 mil crianças foram atendidas pelo programa de formação de ciclistas – Projeto Escolinha Bike, pela Vila Infantil realizada durante o Carnaval e pelos circuitos de Minibikes do Itáu.

 

Conheça o Bicicultura!!!

Screen-Shot-2016-04-14-at-07.16.15

O Bicicultura, maior encontro nacional de mobilidade por bicicleta e cicloativismo, acontece entre 26 e 29 de maio de 2016 em São Paulo. Organizado pela sociedade civil, busca ser o expoente máximo da bicicleta em todas as suas vertentes: cultural, social, política, artística, econômica e ambiental.

O evento abre espaço para o convívio, o compartilhamento de conhecimento e a formação de alianças entre ciclistas, cicloativistas, entusiastas e interessados na democratização urbana, na sustentabilidade ambiental e na qualidade de vida que a bicicleta proporciona.

Confira a programação completa aqui! 

O Bicicultura 2016 é idealizado e realizado pela União de Ciclistas do Brasil – UCB, Ciclocidade, Instituto CicloBr, Instituto Aromeiazero, conta com o patrocínio Banco Itaú e apoio institucional da Prefeitura de São Paulo, além dos apoiadores Aliança Bike, ANTP, Apé, Bicicleta para Todos, Bike é Legal, Brasil Bike Polo, Bike Anjo, Bike Zona Oeste, CicloZN, Cidade a Pé, Compartibike, Dream BMX, Figura Filmes, Greenpeace, Instituto Saúde e Sustentabilidade, ITDP Brasil, oGangorra, Página da Rachel, Pedal Verde, Portal Mobilize, Transporte Ativo, Silvia e Nina e Vá de Bike.

Aliança Bike divulga os resultados da Pesquisa Mercado Bicicletas 2015!

A Aliança Bike, associada e parceira da “Bicicleta Para Todos”, divulgou os resultados da sua ‘Pesquisa Mercado Bicicletas de 2015′.

A pesquisa teve como objetivo “estabelecer um panorama do desempenho do setor de bicicletas ao longo do ano de 2015 e obter uma percepção mais apurada do mercado” e foi aplicada na rede de contatos da Aliança Bike, tendo 222 respostas de indústrias e empresas do segmento.

Uma conclusão importante da pesquisa: mesmo com a atual baixa no setor econômico no país, o mercado de bicicletas mantem-se mais aquecido do que outros setores.

Os dados da pesquisa podem ser vistos CLICANDO AQUI.

Limites de velocidade nas ruas: falácias, mitos e verdades

POR DANIEL GUTH
Escrito a quatro mãos com Carlos Aranha*

Quase uma semana se passou desde a implementação dos novos limites de velocidade nas Marginais Tietê e Pinheiros, em São Paulo. Desde terça-feira, dia 21/07, o que se viu foi uma verdadeira avalanche de críticas e opiniões apaixonadas sobre um tema tão banal e óbvio quanto discutir se metrô é mesmo mais eficiente do que carros para a mobilidade urbana.

Por não ser um tema de pronta assimilação ao senso comum, muitas pérolas – e também opiniões intelectualmente desonestas – repercutiram nas redes e na imprensa em geral. Elencamos e desmistificamos algumas delas, para apresentar os fatos e a importância da redução dos limites de velocidade em toda a cidade.

Continue Reading

Em teste de capacetes, Inmetro e Fantástico prestam desserviço ao uso de bicicleta nas cidades

POR DANIEL GUTH

Com a colaboração de João Lacerda

Sempre é bom analisar o interesse e a forma que se promove o uso do capacete. Principalmente para entender quem se beneficiaria com o uso massivo deste equipamento. Uma reportagem veículada no domingo, durante o programa Fantástico, da TV Globo, demonstrou testes realizados pelo Inmetro em 8 marcas de capacete disponíveis no mercado. CLIQUE AQUI para assistir a matéria completa.

Continue Reading

A bicicleta em 2015: melhores e piores

POR DANIEL GUTH

2015 foi, digamos, um ano bastante polêmico para a mobilidade urbana no Brasil. Em São Paulo, por exemplo, acompanhamos com satisfação a implantação de novos limites de velocidades nas vias arteriais, com resultados já impactantes para a segurança de todos no trânsito. Além da queda nas velocidades altas, também vimos a queda nas vendas e produção de carros no Brasil, que recuaram 25% e 22%, respectivamente, com relação a 2014.

Por outro lado, em Sorocaba, vimos o motorista Fabio Hattori ser condenado a cumprir medidas socioeducativas e ficar com a CNH suspensa por apenas cinco meses, depois de atropelar e matar seis jovens à beira da Rodovia Raposo Tavares. Fabio estava embriagado ao volante.

Sejam fatos positivos ou negativos, a questão é que a mobilidade urbana finalmente assumiu um papel de maior protagonismo no dia-a-dia da sociedade, do poder público e da iniciativa privada. Isto se deve, principalmente, às manifestações de Junho de 2013, que tiveram início em profundos debates sobre o sistema de transporte público nas cidades brasileiras. Mas também destaco a Política Nacional de Mobilidade Urbana (lei nº 12.587/12), que obrigou a criação de planos de mobilidade para todos os municípios com mais de 20 mil habitantes, com prazo final até abril de 2015.

Para celebrar, portanto, a chegada de 2016, aqui listamos os melhores e os piores da mobilidade por bicicleta (ciclomobilidade) neste ano que está chegando ao fim.

Continue Reading

astraccia
fevereiro06/ 2016

 

big banner